Amazônia Brasileira: maldição dos recursos naturais ou renovado colonialismo?